Segunda-feira, 04 Julho 2011 09:42 | Redação

Alemanha quer lei que proíba festas convocadas pelo Facebook, em resultado de um caso ocorrido em Hamburgo: uma jovem convidou 1500 ‘amigos’ da rede social para uma celebração num bar, sobrelotando o espaço. Distúrbios e 11 detenções foram o resultado deste episódio, que já mereceu uma reflexão por parte de alguns ministros. Em junho, em Wuppertal, ocorrera um episódio semelhante.

Uma jovem pretendia apenas assinalar o 16.º aniversário, mas acabou por gerar um episódio de violência, num bar de Hamburgo. Este caso, que ocorreu na cidade alemã, levou alguns ministros a tomar medidas de força, perante o que consideram ser uma ameaça da ordem pública.

Os responsáveis pelas pastas do Interior, nos estados da Baviera, Renânia Norte Vestefália e Baixa Saxónia pretendem pura e simplesmente proibir a convocação deste género através do Facebook. O elevado número de amigos que qualquer usuário do Facebook pode ter, aliado à possibilidade de marcar eventos em locais que o próprio pode escolher sem consulta, resulta numa mistura perigosa.

Em Hamburgo, cerca de 1500 pessoas acederam ao convite da jovem, o que sobrelotou o espaço e geriu alguns incidentes. Cerca de 100 polícias tiveram de intervir, detendo 11 ‘convidados’, que provocaram danos no espaço e desrespeitaram ordens das autoridades.

Não é a primeira vez que se verifica um caso semelhante: em junho, em Wuppertal, uma outra festa marcada através de redes sociais chamou 800 pessoas para espaços exíguos, levando a polícia a agir, com 16 feridos e 41 detenções.

Estes episódios provocaram uma reflexão, que se pode estender a qualquer país: a falta de preparação no uso das redes sociais. A inocência de um ato, numa rede social, pode gerar um caso de violência extrema.


RELACIONADOS
Partilhar
Esta e outras notícias no seu e-mail, todos os dias