Quarta, 12 Setembro 2012 15:21 | Álvaro Cerqueira

As rendas da habitação devem sofrer um aumento de 3,36 por cento, em 2013. Esta percentagem coincide com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no que diz respeito à inflação.

De acordo com a agência Lusa, no próximo ano as rendas sofrerão um aumento de 3,36 por cento, precisamente os valores da inflação tornados públicos pelo INE.

Entre os meses de agosto de 2011 e 2012, a variação do índice de preços (excluindo a habitação) subiu 3,36 pontos percentuais. E este é o indicador que serve de referência para a atualização das rendas, no âmbito do NRAU – Novo Regime do Arrendamento Urbano.

Há um ano, as rendas subiram 3,19 por cento, enquanto no anterior essa subida fora bem mais ténue: 0,3 pontos percentuais. Estima-se que cerca de 627 mil famílias sejam afetadas pela atualização dos preços.

Estes aumentos para 2013 vão abranger os contratos de arrendamento rubricados em data posterior a 1967. Todos os contratos anteriores a esta data terão um aumento superior, na ordem dos cinco pontos percentuais.

No entanto, segundo a nova lei das rendas, os agregados que tenham rendimentos reduzidos terão apoios, de acordo com a taxa de esforço, que estabelece um paralelo entre o valor da renda e o total dos rendimentos brutos.

O valor a pagar não pode superar os 10, 17 e 25 por cento dos rendimentos familiares brutos, dependendo dos contrato em que as famílias se enquadram.


RELACIONADOS
Partilhar
Esta e outras notícias no seu e-mail, todos os dias