Do que nos queixamos?

Sexta-feira, 14 Setembro 2012 14:23 | Cláudia Godinho

Do que nos queixamos? Estamos entre os piores da Península Ibérica, da Europa, do Mundo. Mas até temos sorte, podíamos ser os piores... O problema é que para lá caminhamos.

De que nos podemos queixar? Dos baixos salários? Ora essa, o senhor com nome de animal com orelhas grandes no ar, não parece utilizá-las muito para ouvir o povo. Pelos vistos, os 485 euritos, pronto... os 500 para não ferir a susceptibilidade dos mais sensíveis, chegam perfeitamente para a renda ou a prestação da casa, a creche e as propinas dos filhos, a alimentação, as despesas do carro... poderia estar horas a enumerar onde o gastar. A prioridade das famílias deixou de ser uma alimentação equilibrada e passou a ser simplesmente pôr comida na boca, todos os dias.

Quanto ao carro, oh, o carro... tornou-se um luxo alimentá-lo. A maioria vai abastecendo cinco euros de gasolina que, com sorte, há-de ser suficiente até chegar à próxima bomba. Sair da reserva? Já lá vai o tempo! O tempo em que achávamos um absurdo o gasóleo estar quase nos 200 "paus".

Mas, porquê deprimir? Podia ser pior e tristezas não pagam dívidas. Se estamos desempregados, aproveitemos para fazer umas férias... à porta do Centro de Emprego. Se não temos comida, é a oportunidade que nos faltava para fazermos aquela dieta que tanto desejávamos. Se simplesmente conseguirmos não ter o saldo negativo este mês, parabéns! Fizemos algo inédito nos dias que correm!

Se as dezenas de moedas pretas espalhadas pelos cantos da casa, no tempo das "vacas gordas", juntas fizerem dois euros, aposte no euromilhões. Como isto anda, mesmo só tendo uma mísera hipotese de ganhar em milhares, é mais provável ganhar o jackpot do que Portugal emergir de um poço bem fundo em que se meteu.


Partilhar
Esta e outras notícias no seu e-mail, todos os dias
Quer receber notícias interessantes?