‘Drag queen’ processa cadeia por ter sido colocado na ala feminina (vídeo)

Segunda-feira, 17 Setembro 2012 16:42 | António Henriques

Tem nome de mulher, Karla Brenner, veste-se como uma mulher, mas é um homem, “um artista”, um ‘drag queen’. Decidiu processar a cadeia da cidade de Nashville, no Tennessee (EUA), por ter sido colocado na ala feminina da prisão. Depois de as restantes prisioneiras terem descoberto que Karla era um homem, acabou por ser maltratado.

Karla Brenner tem nome de mulher e aparência feminina, só que é um homem. Estas características deste drag queen não seriam relevantes se este prisioneiro tivesse sido colocado na ala feminina da prisão de Nashville e se essa decisão não lhe tivesse provocado graves problemas.

Aquando da sua detenção – por ter roubado uma mala, que lhe valeu uma pena de três anos – Karla garantiu que era um homem e que deveria ser colocado na ala masculina. No entanto, as autoridades não aceitaram o seu pedido e julgaram este homem pela sua aparência. E Karla foi colocado junto às restantes mulheres da cadeia.

“Tenho o cabelo comprido, uso maquilhagem, mas sou um artista, um ‘drag queen’. Isto não significa que sou um homem que goste de se vestir como uma mulher. Não sou uma mulher, nem tenho nenhuma intenção de o ser2, revelou, em declarações canal televisivo WSMV.

A partir do momento em que as prisioneiras de Nashville descobriram que afinal ‘ela’ era um homem, começaram a maltratar Karla Brenner. Foram três anos de pesadelo, com agressões permanentes e coação psicológica.

Karla Brenner insistiu que esta na ala errada, mas o seu pedido nunca foi aceite. Agora, decidiu processar a cidade de Nashville, onde está localizada esta cadeia.

Veja a reportagem sobre a história de Karla, um homem no local errado.


RELACIONADOS
Partilhar