Quinta-feira, 20 Setembro 2012 17:30 | António Henriques

Dono da casa onde as duas idosas morreram, num incêndio em Vila Nova de Gaia, revelou que as irmãs, de 92 e 94 anos, estavam amarradas à cama, por questões de segurança. O vereador da Proteção Civil confirma este dado. Uma das vítimas mortais sofria de doença de Alzheimer, de acordo com declarações de Rui Ribeiro aos jornalistas.

As duas idosas que morreram no incêndio em Gaia, na manhã desta quinta-feira, foram amarradas às camas, por razões que se prendem com segurança, de acordo com declarações do proprietário da casa, Rui Ribeiro, onde as idosas estavam alojadas. Uma das irmãs padecia de doença de Alzheimer e era recorrente caírem ao chão, pelo que foram amarradas à cama.

Segundo Rui Ribeiro, um barulho estranho suscitou a sua curiosidade, que o levou ao quarto onde estavam as duas irmãs. Quando chegou ao local, uma botija de oxigénio estava a arder. Tentou salvar as idosas, mas não conseguiu e só teve tempo de se deslocar para a varanda, para escapar à morte.

o vereador da Proteção Civil da Câmara Municipal de Gaia, Rui Cardoso, confirmou que as duas mulheres estavam amarradas, mas não adiantou qualquer dado sobre este cenário.

O incêndio, em Vila Nova de Gaia, num terceiro andar de um prédio, provocou assim duas vítimas, as irmãs de 92 e 94 anos de idade. O fogo deflagrou na manhã de hoje, no centro da cidade.

As duas irmãs estavam entregues ao cuidado de um casal, que, de acordo com o Jornal de Notícias, foi resgatado pelos bombeiros na varanda casa, onde se refugiaram. Foram encontradas pelos bombeiros, já sem vida, no quarto onde dormiam.

As únicas vítimas mortais deste incêndio estavam entregues aos cuidados de uma sobrinha, que sofreu ferimentos, ainda que com pouca gravidade. Foi transportada ao hospital, por precaução, em virtude da inalação de fumo.

Os proprietários da casa foram retirados da varanda por parte do corpo de bombeiros, que recorreram a uma autoescada. O salvamento foi feito pelo exterior da habitação.

O alerta foi dado às 9h20 desta quinta-feira, de acordo com o Comando Distrital de Operações e Socorro do Porto. Estiveram no combate às chamas e salvamento das vítimas os Sapadores de Gaia e os Bombeiros Voluntários de Coimbrões (Gaia), que destacaram 16 homens e sete viaturas para o local.

Também o INEM enviou uma ambulância, sendo que a Proteção Civil de Gaia esteve presente no local.


RELACIONADOS
Partilhar
Esta e outras notícias no seu e-mail, todos os dias