Sábado, 22 Setembro 2012 19:22 | Luís Correia Neves

Após a reunião do Conselho de Estado, foi lido um comunicado no qual o Governo expressa a intenção de procurar alternativas ao aumento da Taxa Social Única (TSU) para os trabalhadores, e acrescenta que foram já resolvidas as dificuldades que estavam a comprometer a solidez da coligação governamental.

Segundo o Diário de Notícias, as oito horas que durou a reunião do Conselho de Estado resultaram numa cedência por parte do Governo, que mostra agora maior abertura para encontrar alternativas à anunciada mexida na TSU. O comunicado esclarece ainda que foram já sanadas as questões discordantes que punham em risco a coligação que suporta o Governo.

Quanto à resposta europeia à crise da Zona Euro, os conselheiros manifestaram o desejo de ver, tão rapidamente quanto possível, criada a União Bancária Europeia; uma maior disponibilidade do Banco Central Europeu para intervir no mercado secundário da dívida soberana de alguns países; e mais políticas europeias apontadas ao crescimento económico e ao emprego.

Em relação, especificamente, à situação portuguesa, o conselho destacou a necessidade imperiosa de existir diálogo político e social, para que este consenso permita encontrar soluções que, sem se afastarem dos compromissos assumidos, “garantam a equidade e a justiça na distribuição dos sacrifícios bem como a protecção das famílias de mais baixos rendimentos e permitam perspectivar o crescimento económico sustentável”.

A reunião teve início às 17h15. O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, foi o primeiro orador (para explicar as medidas relativas à TSU), tendo saído por volta das 18:30. Mário Soares, antigo Presidente da República, foi o segundo a deixar o encontro, pouco antes das 20h00. Os demais conselheiros só abandonaram o Palácio e Belém por volta da 01h00. O comunicado foi lido 20 minutos mais tarde.


RELACIONADOS
Partilhar