Sobrevive a comer moscas perdido na Austrália durante mais de 15 dias

Sexta-feira, 07 Março 2014 15:16 | António Henriques

moscasDaniel Dudzisz, um turista alemão de 26 anos, perdeu-se na Austrália, em Longbeach, Queensland, durante uma caminhada de 90 quilómetros. Estava perdido desde 17 de fevereiro e poucos acreditavam que estivesse vivo. Durante mais de 15 dias, alimentou-se de moscas.

É uma história para Daniel contar aos netos. Este alemão de 26 anos decidiu fazer uma longa caminhada na Austrália, em Queensland, até que se perdeu, no dia 17 de fevereiro. Era procurado um corpo, porque poucos acreditavam que pudesse estar vivo. Mas a verdade é que o turista sobreviveu, num local remoto no nordeste da Austrália e foi encontrado por um condutor, nesta quinta-feira.

Daniel Dudzisz estava na cidade de Windorah, localizada a 1880 quilómetros de Brisbane. Revelou à polícia que conseguiu sobreviver comendo moscas.

“Ele disse, a brincar, que jamais poderia morrer à fome, no interior da Austrália, já que aquele local tem muitas moscas, que são ricas em proteínas. E essa foi a sua salvação”, revelou Mark Henderson, inspetor de polícia, em declarações ao canal televisivo ABC.

O alemão pretendia fazer uma caminhada de 90 quilómetros, partindo de Windorah e com a chegada prevista para Jundah. Pelo meio, pé ante pé, passava por Queensland e Uluru, no centro do território australiano.

No entanto, os planos de Daniel Dudzisz saíram furados e o alemão acabou por perder-se, quando seguia perto do rio Thomspon. Permaneceu durante cerca de 10 dias numa área florestal, inundada pela água do rio Barcoo, segundo conta a polícia.

E se aquele bem essencial estava garantido (sem água, não haveria insetos que salvassem Daniel), faltava encontrar alimento. E as moscas foram a solução.

“Quando o nível de água subia, o turista ficava preso num local da floresta, cercado pela água, cujo nível aumentou cerca de três metros, em toda a sua volta”, explicou ainda o polícia.

E foi precisamente com a descida do nível da água que Daniel Dudzisz conseguiu sair do local ermo onde se encontrava e caminhar até à povoação. O turista alemão viria a ser encontrado por um homem.

“Daniel Dudzisz apresenta uma capacidade única de sobreviver com poucos alimentos. E é um homem muito forte e resistente. Não deve, no entanto, ser olhado como um herói”, acrescentou Mark Henderson.

O turista que sobreviveu à custa de moscas não perdeu a vontade de percorrer a Austrália, caminhando, e vai retomar o percurso definido. No entanto, desta vez, mesmo sabendo que as moscas são ricas em proteínas, promete manter-se junto a vias principais, sem riscos de se perder... e ficar entregue à bicharada.


RELACIONADOS
Partilhar
Esta e outras notícias no seu e-mail, todos os dias