Artes



NOS Primavera Sound 2015: Venda antecipada de passes gerais a partir de setembro

António Henriques   
Sexta-feira, 29 Agosto 2014 20:16

nos ps 2015A partir de segunda-feira, dia 1 de setembro, às 12h00 (hora de Portugal), ficam disponíveis os passes gerais para o NOS Primavera Sound 2015 pelo preço promocional de 80 euros.

A venda é limitada até ao final do dia 4 de setembro, quarta-feira. E os bilhetes podem ser adquiridos em bilheteiraonline.pt, Atrapalo, Seetickets, Ticketscript, Portal NOS Primavera Sound e nos locais habituais (Fnac, CTT, El Corte Inglés, Worten).

Simultaneamente, os portadores do cartão de passe geral NOS Primavera Sound 2014 podem comprar o passe geral para a próxima edição do festival pelo valor promocional de 75 euro, em bilheteiraonline.pt e nos locais habituais, mediante a validação do código de barras do cartão.

A quarta edição do festival vai ter lugar de 4 a 6 de junho, no Parque da Cidade, no Porto.

 

Apocalyptica com concertos nos coliseus do Porto e Lisboa (bilhetes)

António Henriques   
Quarta, 27 Agosto 2014 19:08

apocalyptica

Após o sucesso mundial de ‘7th Symphony’ (2010), os violoncelistas finlandeses dedicaram-se a vários projetos aclamados pela crítica, estando finalmente a ultimar o seu oitavo álbum de estúdio. A edição está agendada para o início de 2015 e será promovida por uma extensa digressão que inclui duas datas em Portugal, no próximo ano.

Desde a sua criação em 1993 que os Apocalyptica têm jogado com as formas e estruturas clássicas despoletando sempre projetos novos e imprevisíveis. Vinte e um anos depois de uma carreira global superior a mais de 1000 concertos ao vivo realizados em mais de 50 países, o grupo continua a reinventar-se e a despertar enorme atenção nos meios de comunicação e nas tabelas de vendas de todos os continentes.

No início deste ano o mais recente projeto dos Apocalyptica – ‘Apocalyptic Symphony’ – assinalou a sua primeira digressão com um grupo de música clássica, o Avanti! Chamber Orchestra. “Estamos em grande forma” - diz Toppinen – “e ainda com fome para fazermos música, juntos. Se queres experimentar coisas novas nunca sabes onde vais parar mas estamos motivados e as nossas cabeças estão cheias de ideias novas.”

Tendo colaborado com artistas como Gavin Rossdale, Dave Lombardo, e Ville Valo em anteriores álbuns de estúdio, os Apocalyptica assumiram agora um novo desafio musical: para o próximo LP a banda está a trabalhar com Franky Perez como vocalista exclusivo, colaboração que se estenderá às digressões.

Perez lançou seu disco de estreia em 2003, juntando-se mais tarde a Daron Malakian dos System of a Down e a John Dolmayan no coletivo Scars on Broadway.

Em 2009, Perez foi anunciado como vocalista da banda solo do ex-Guns’N’Roses Slash, seguindo-se colaborações com Dave Kushner (Velvet Revolver), Scott Shriner (Weezer), Joey Castillo (Queens of the Stone Age) e Dave Warren (Os Simpsons) como Pusher Jones.

Depois de ser convidado para vocalista dos The Doors no Festival de Música LA Sunset Strip, em 2013 lançou o álbum a solo ‘Addict’.

Para os Apocalyptica, trabalhar com Perez em todo o projeto eleva a sua visão musical a um novo nível de coerência entre produção de estúdio e performance ao vivo, assim como renova o foco na homogeneidade da banda, após os recentes projetos paralelos.

O novo álbum será lançado no início de 2015, seguido por uma extensa digressão que passará por Portugal em Abril.

Dia 20 no Porto e 21 em Lisboa, os Coliseus serão o cenário perfeito para a apresentação deste novo trabalho ao público português.

Bilhetes

Coliseu do Porto: 20 de abril
Plateia: 26 euros
Tribuna: 30 euros
Camarote 1.ª: 29 euros
Frisas: 29 euros
Frisa Visibilidade Reduzida: 24 euros

Compra de bilhetes: Coliseu do Porto, Fnac, Worten, El Corte Inglés, CTT, Agências Abreu, Agência ABEP, C.C. Dolce Vita (Amadora, Funchal, Coimbra, Ovar, Vila Real e Porto), C.C. MMM (Espaço Guimarães, Fórum Viseu, Fórum Coimbra, Fórum Sintra, Almada Fórum), U Ticketline, Ticketline e Coliseu do Porto. Em Espanha: Breakpoint.

Coliseu dos Recreios: 21 de abril
Plateia: 26 euros

Compra de bilhetes: Coliseu dos Recreios, Fnac, Worten, El Corte Inglês, CTT e Agência ABEP. Em Espanha: Breakpoint.

 

Digressão de Morrissey arranca em Lisboa a 6 de outubro (bilhetes)

António Henriques   
Terça-feira, 26 Agosto 2014 16:45

morrissey 2014A nova digressão de Morrissey vai arrancar em Lisboa, dia 6 de outubro, no Coliseu dos Recreios. O cantor e compositor inglês irá apresentar num concerto único em Portugal o seu novo disco de estúdio, ‘World Peace Is None Of Your Business’, editado no passado mês de julho.

O décimo álbum a solo do ex-líder dos The Smiths foi gravado no sul de França, com a produção de Joe Chiccarelli, produtor de bandas como The Strokes e The Killers.

O artista oriundo de Manchester é hoje um ícone por direito próprio, tendo o facto ficado ainda mais vincado com o sucesso do lançamento da sua autobiografia, publicada pela famosa editora Penguin Classics.

O livro entrou na lista dos mais vendidos do Reino Unido, em número um, com cerca de 35 mil cópias vendidas apenas na primeira semana.

Os bilhetes são colocados à venda no sábado, dia 30 de agosto, a partir das 10h00.

Plateia em pé/Geral/Galeria em pé: 39 euros
Camarote 1.ª Frente: 49 euros
Camarote 1.ª Lado: 44 euros
Camarote 2.ª Frente: 44 euros
Camarote 2.ª Lado: 39 euros

Pontos de venda: Coliseu dos Recreios, Fnac, Worten, El Corte Inglês, CTT e Agência ABEP. Em Espanha: Breakpoint.

 

Vodafone Paredes de Coura 2014 (dia 4): Só faltou a cabra na noite de enchente

Pedro Vasco Oliveira   
Segunda-feira, 25 Agosto 2014 16:50

geral 210geral 01Casa cheia no Taboão na noite de James Blake e Beirut, mas de surpresas muito agradáveis como os Goat e The Growlers.

JB01Bilhetes esgotados, o que aconteceu pela primeira vez no festival, e o anfiteatro natural à beira-rio apresentava-se para a quarta e última noite do Vodafone Paredes de Coura 2014 coberto de uma imensa massa humana.

As cerca de 28 mil pessoas que estiveram no recinto, números da organização, aguardavam especialmente por Beirut e por James Blake e, diga-se, a eles se deve a grande enchente. Para além do mais, Paredes de Coura está cada vez mais na moda… e os hipsters adoram estas coisas!

Segundo a organização da Ritmos, foram cerca de 100 mil pessoas que passaram, ao longo de quatro dias, pelo festival e se nos dias anteriores a agitação entre elas foi grande e crescente, para o último dia estava reservado o ambiente mais melancólico e a música cismática!

Beirut01De facto, não teria sido pior algo mais animado para a despedida 2014, mas os festivais também têm destas coisas. E foi num ambiente de enorme contemplação e até alguma soturnidade que a edição 22 de Coura terminou, com Beirut e James Blake.

G07Mas antes ainda houve coisas muito interessantes. Com os Goat veio a melhor surpresa da noite. Um rock de sabor tribal a sonorizar uma presença em palco a fazer lembrar um ritual divino, uma espécie de vudu nórdico, em que as paisagens gélidas da Suécia parecem não figurar. Tudo na banda remete para um universo de feitiçaria, e que visualmente em palco é completado pelas roupagens dos sete elementos em palco. A percussão é o elemento aglutinador do som da banda, que vive muito também das guitarras e das vozes das duas vocalistas. Só faltou mesmo a cabra (Goat) para que a celebração de mais uma grande edição de Paredes de Coura ficasse completa!

Grow02Já antes, The Growlers, que protagonizaram no Penedo das Vistas a derradeira Music Session da edição 2014 de Coura, voltaram a surpreender pela positiva, com um registo muito candente e atraente, acabando por ficar como um dos bons concertos do festival.

Assim chegou ao fim mais um Paredes de Coura, o do recorde de público e o de ter confirmado que é de facto uma semana de felicidade para milhares de pessoas.

Até porque o céu de Coura é mais estrelado do que no resto do Mundo!...

Reportagem: Pedro Vasco Oliveira (texto) e Sofia Salgado Mota e Hugo Lima (fotografia)

 

Última atualização: Segunda-feira, 25 Agosto 2014 17:03
 

Vodafone Paredes de Coura 2014 (dia 3): Rock relativiza acentuado arrefecimento nocturno

Pedro Vasco Oliveira   
Sábado, 23 Agosto 2014 16:19

LM05 1LM04Falemos do tempo, não porque o dia de ontem não tenha sido um bom dia para todos os que, e uma vez mais foram muitos, estiveram no anfiteatro natural o Taboão, na noite 3 do Vodafone Paredes de Coura 2014, mas só para ser diferente!

publico2014 3Melhor, isto serve apenas para introduzir a questão central de tudo isto, ou seja, a música. Mas dizia, ainda acerca do tempo, que o arrefecimento nocturno tem, de facto, sido acentuado, mas o rock’n’roll que se ecoa junto ao rio Coura aquece corpos e almas, que assim ficam imunes às contingências climatéricas.

O tórrido calor dos dias desemboca em noites frias que só a música consegue contrariar. Isto vem ainda a propósito de esta ser uma das poucas edições, nas 22 que o festival já conta, em que a chuva não vai brindar a festa. Coura é amor, sol e rock’n’roll e é bem verdade.

BG02Posto isto, o que nos levou a isto foram essencialmente três concertos na terceira noite de Coura’14 e a Vodafone Music Sessions que ontem levou um pequeno número de escolhidos até ao campo de futebol da Nª Sª da Pena, no alto do monte, onde os nova-iorquinos Buke & Gaze protagonizaram um muito agradável mini-concerto.

BG01Do interior da baliza, o duo tocou cerca de 40 minutos, sob um Sol abrasador, mas cujo momento singelo tudo relativizava!

Lá está, se estivesse de chuva aquele era um momento impossível!... Isto não quer dizer que a chuva não tenha a sua beleza, mas… se não cair dá jeito!

LM07Ainda o Sol brilhava quando os Linda Martini subiram ao palco e fizeram a sua habitual magia, mas foi, já com o manto escuro da noite sobre a praia fluvial do Taboão, que a coisa pegou verdadeiramente fogo.

BL01Estavam em palco os Black Lips. Mais tarde ainda, os Cut Copy, com a sua pop-rock de sabor electrónico, fizeram a festa à sua maneira, convidando à dança, mas ainda numa altura em que o público queria era mosh e crowdsurfing.

CC04Agitação! Por isso até foi estranho verem-se corpos a surfar cabeças na actuação dos australianos.

Foi num registo mais cerebral que os portugueses autores de Turbo Lento se apresentaram em Coura. Com o público a chegar à medida que o concerto decorria, até a plateia ficar muito bem composta, tendo em conta as horas (ainda não eram 20h00), a festa também foi em crescendo, com o público a dar largas à vontade imensa de libertar energia.

publico02 2014 5Assim foi. E se tivesse chovido? Haveria, por certo, uma espécie de luta na lama, mas sem luta, apenas diversão pura, estranha aos olhos de muitos, mas muito catárctica! Houve catarse na mesma, mas com pó!

Conor Oberst deu um concerto muito interessante para a hora de jantar. Acompanhado em palco pelos Dawes, que abriram o Palco Vodafone FM, o músico norte-americano soube cativar muito público e acabou por dar um dos bons concertos da noite.

Só que a seguir entraram em palco os Black Lips e o sossego acabou.

PP03Os milhares de almas presentes no festival ansiavam por rock’n’roll, especialmente depois do explosivo concerto carregado de rock duro e desbragado dos Perfect Pussy no palco secundário.

PP01Meredith Graves parece querer escavar uma cova para todos os que enfrenta a partir do palco… e estes, ontem, não se negaram à luta. Guitarras loucas, por entre uma secção rítmica potente e muita escuridão são a receita perfeita para espoletar uma guerrilha pacífica em frente ao palco! ‘Rock on’ era a palavra de ordem.

BL03Ah, e os Black Lips deram ao público a oportunidade de se libertar totalmente. Rock à solta no Taboão, num concerto seguro, pujante e libertador para milhares de espíritos inquietos que o esperavam.

A intensidade do concerto dos Black Lips justifica em parte o que se seguiu.

CC01Os Cut Copy estiveram bem, pois são energicamente contagiantes, mas o povo ainda não tinha saciado a fome de riffs loucos e ritmo coração, muito mosh e agitação. Por isso, quando não era de esperar via-se, junto à primeira fila, corpos a sobrevoar os demais… quando o suposto era mais dançar. Bem, mas cada um sabe de si e desfruta a seu contento.

Por isso, é que se pode dizer com bastante segurança que a terceira noite de Paredes de Coura 2014 foi mais uma grande noite… para a esmagadora maioria. Há sempre alguém que é do contra.

A noite fechou com os Cheatahs e os Fort Romeau, a que este vosso escriba já não assistiu.

Hoje há mais e vamos para o dia 4!...

Reportagem: Pedro Vasco Oliveira (texto) e Sofia Salgado Mota (fotografia)

Última atualização: Sábado, 23 Agosto 2014 16:58
 


Página 1 de 278