Hoje é dia



10 de agosto, morre um carpinteiro que descobriu ouro e acabou pobre

Joana Teles   
Sábado, 09 Agosto 2014 23:00

james wilson marshallChama-se James Marshall e foi um carpinteiro norte-americano. A sua arte não lhe permitiu ser conhecido, mas este californiano descobriu ouro nas margens do American River. Acabou expulso das próprias terras e não colheu lucro do ouro que seria seu. Marshall morreu a 10 de agosto de 1885.

Hoje é dia de contar uma história de um homem simples, carpinteiro, que descobriu ouro no American River, nos EUA. James Wilson Marshall foi expulso do local e nunca chegou a retirar partido da sua descoberta, mas o seu nome acaba por ficar associado a um facto histórico no território norte-americano.

A descoberta de James Wilson Marshall, a 24 de janeiro de 1848, deu início ao período que ficou conhecido como ‘Corrida do Ouro da Califórnia’. Marshall foi expulso das próprias terras, em virtude da sede de lucro que o fenómeno gerou, e a sua descoberta nunca lhe proporcionou qualquer lucro.

O American River, localizado na Califórnia, adquiriu, em virtude desta descoberta, um importante papel na história dos EUA. Ao contrário de James Wilson Marshall, que passou discreto, apesar de ter sido o responsável pelo fenómeno. Este carpinteiro morreu a 10 de agosto de 1885 e hoje é recordado.

Nasceram a 10 de agosto Christian Hermann Weisse, filósofo alemão (1801), Henry Nestlé, industrial suíço (1814), António Gonçalves Dias, poeta brasileiro (1823), Sérgio Frusoni, poeta cabo-verdiano (1901), Norma Shearer, atriz canadiano (1902), Arne Tiselius, químico sueco e Nobel da Química (1902), e Leo Fender, construtor de guitarras norte-americano (1909)

Nasceram ainda Jorge Amado, escritor brasileiro (1912), Wolfgang Paul, físico alemão, Nobel da Física (1913), António Sanches Branco, governador português (1918), Blanca Varela, poeta peruana (1926), Ian Anderson, cantor, compositor e guitarrista norte-americano (1947), Patti Austin, cantora de jazz norte-americana (1950), e Antonio Banderas, ator e produtor de cinema espanhol (1960).

Morreram neste dia Filipe da Borgonha, Conde de Auvérnia e Bolonha (1346), Anthony Munday, dramaturgo inglês (1633), George Thomas Staunton, explorador britânico (1859), Charles Dawson, arqueólogo e paleontólogo britânico (1916), e Robert Goddard, engenheiro e físico experimental norte-americano (1945).

Morreram também Emmy Hennings, escritora alemã (1948), Frank Lloyd, realizador escocês (1960), Walther Gerlach, físico alemão (1979), Gareth Evans, filósofo inglês (1980), Pinheiro de Azevedo, político português (1983), Edmund Germer, inventor alemão (1987), e Sidney Fox, bioquímico norte-americano (1998).

Última atualização: Sábado, 09 Agosto 2014 20:15
 

9 de agosto, nasce Piaget, o biólogo que revolucionou o conceito de educar

Joana Teles   
Sexta-feira, 08 Agosto 2014 23:00

jean piagetO cientista suíço Jean Piaget revolucionou o modo de encarar a educação das crianças, provando que estas não pensam como os adultos e constroem o próprio conhecimento. Piaget nasceu a 9 de agosto e é recordado hoje.

Jean Piaget nasceu em Neuchâtel, na Suíça, a 9 de agosto de 1896, e foi um dos mais importantes pensadores do século XX, sobretudo no campo da educação e pedagogia. Piaget foi biólogo e dedicou a vida a submeter à observação científica o processo de aquisição de conhecimento por parte do ser humano – em especial, a criança.

Formou-se em Biologia na Universidade de Neuchâtel, onde concluiu o doutoramento, mas dedicou-se à Psicologia, Epistemologia e à Educação. Deu aulas de Psicologia na Universidade de Genebra, entre os anos de 1929 e 1954, tornando-se mundialmente famoso pela sua revolução epistemológica.

Desenvolveu uma abordagem interdisciplinar para a investigação epistemológica e fundou a Epistemologia Genética, teoria do conhecimento que se baseia na génese psicológica do pensamento humano.

Segundo esta teoria, o pensamento infantil passa por quatro fases, desde o nascimento até o início da adolescência, quando a capacidade plena de raciocínio é atingida.

A obra de Jean Piaget também contribuiu de forma decisiva para a ciência da computação. Ao longo da sua vida, escreveu mais de 50 livros e centenas de artigos. Foi galardoado por diversas vezes, em todo o mundo, destacando-se o título 'honoris causa' concedido pela Universidade de Harvard - antiga instituição de ensino superior dos Estados Unidos.

Paget viria a morrer em Genebra, a 16 de setembro de 1980. Hoje, no dia do seu nascimento, recorda-se um homem que revolucionou o conceito de educar.

Nasceram a 9 de maio Alexandra Pavlovna da Rússia, grã-duquesa do Império Russo (1783), Leonid Andreiev, escritor russo (1871), Jean Piaget, psicólogo suíço (1896), Mário Zagallo, ex-futebolista e ex-treinador brasileiro (1931), Otto Rehhagel, treinador de futebol alemão (1938), Romano Prodi, político italiano (1939), Fafá de Belém, cantora e atriz brasileira (1956), Melanie Griffith, atriz norte-americana (1957), e Whitney Houston, atriz, modelo, produtora e cantora norte-americana (1963).

Morreram neste dia Afonso de Bragança, Marquês de Valença, embaixador português da Basileia e de Roma (1460), Francisco Martins Sarmento, arqueólogo português (1899), Hermann Hesse, escritor alemão (1962), Sharon Tate, acriz norte-americana (1969), e Mahmoud Darwish, poeta palestino (2008).

Hoje é o Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Última atualização: Sábado, 09 Agosto 2014 11:43
 

8 de agosto, é criada a Cruz Vermelha Internacional

Joana Teles   
Quinta-feira, 07 Agosto 2014 23:00

cruz vermelhaHoje é dia de assinalar mais um aniversário da Cruz Vermelha, que nasceu por iniciativa de Henry Dunant, para ajudar soldados feridos durante a Batalha de Solferino, em 1859. Ao longo de séculos, foi alargando sua intervenção, sempre de cariz humanitário.

A Batalha de Solferino foi génese da Cruz Vermelha, que nasceu da persistência de Dunant, capaz de convencer líderes políticos a realizar mais ações de proteção de vítimas de guerras. O objetivo seria prestar apoio médicos a soldados feridos, mas ao longo dos tempos a missão foi sendo alargada a grupos mais vulneráveis.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha é fundado em 1863, em Genebra, na Suíça, para proteger a vida e a dignidade de vítimas de conflitos internacionais e internos. Viria a conquistar três Prémios Nobel da Paz, em 1917, 1944 e 1963, pela dimensão da sua ajuda humanitária. Hoje, conta com quase 100 milhões de voluntários, que agigantam uma obra ímpar.

Em Portugal, a Cruz Vermelha foi fundada por José António Marques, a 11 de Fevereiro de 1865. Cruz Vermelha Portuguesa nasceu com a designação de ‘Comissão Provisória para Socorros e Feridos e Doentes em Tempo de Guerra’.

Quer de modo autónomo, quer no âmbito da Cruz Vermelha Internacional, a Cruz Vermelha Portuguesa tem atuado em cenários de conflitos armados ou catástrofes naturais, em território nacional e também no estrangeiro.

A instituição presta assistência humanitária e social, sobretudo aos grupos mais vulneráveis, como idosos, dependentes, crianças, vítimas de violência doméstica, pobres, imigrantes, toxicodependentes, reclusos, pessoas com deficiência, entre outros.

Nasceram neste dia Ernest Orlando Lawrence, físico norte-americano, Nobel da Física (1901), Benny Carter, músico norte-americano (1907), Ronald Biggs, protagonista de um dos maiores assaltos da história (1929), Sir Howard Hodgkin, pintor britânico (1932), Dustin Hoffman, ator norte-americano (1937), Nigel Mansell, piloto britânico, campeão mundial de Fórmula 1 (1953), David Evans, músico irlandês, guitarrista dos U2 (1961), e Roger Federer, tenista suíço (1981).

Morreram a 8 de agosto Alonso Sánchez Coello, pintor espanhol (1588), Guido Reni, pintor italiano (1642), Christian Weigel, químico e naturalista alemão (1831), Eugène Boudin, pintor francês (1898), James Tissot, pintor francês (1902), José Lezama Lima, romancista e poeta cubano (1976), Francesco Molinari-Pradelli, maestro italiano (1996), Fay Wray, atriz norte-americana (2004), Julius Wess, físico austríaco (2007), e Raul Solnado, ator e humorista português (2009).

Última atualização: Sexta-feira, 08 Agosto 2014 08:11
 

7 de agosto, nasce Mata Hari, a dançarina condenada por espionagem

Joana Teles   
Quarta, 06 Agosto 2014 23:00

mata hariMargaretha Gertruida Zelle nasceu em Leeuwarden, na Holanda, a 7 de agosto de 1876, e ficou mundialmente célebre como Mata Hari. Foi uma dançarina exótica, acusada de espionagem e condenada à morte por fuzilamento, na I Guerra Mundial.

A vida de Mata Hari desde sempre suscitou interesse de biógrafos, romancistas e realizadores de cinema, não pela faceta artística desta dançarina, mas pelo simbolismo que a sua personalidade representava: a ousadia feminina.

Mata Hari perdeu a mãe aos 15 anos, facto que marcou profundamente a sua vida, pela perda sentimental, mas também pelas dificuldades económicas que teve de enfrentar, decorrentes dessa fatalidade.

Viria a tentar uma carreira de professora, sem sucesso, e dedica-se à arte de dançarina. Adota o pseudónimo de Mata Hari, que em malaio e língua indonésia quer dizer ‘sol’, mas que mas literalmente significa “olho da manhã”.

Durante a I Guerra Mundial, Mata Hari ficou célebre por ter dormido com inúmeros oficiais, sendo certo que nenhum historiador conseguiu esclarecer se essa foi a forma que encontrou para recolher informações, na sua missão de espiã.

Em 1917, foi julgada em França, suspeita da prática de espionagem, como agente dupla ao serviço de Alemanha e França. É considerada culpada e condenada à morte. A 15 de outubro daquele ano, é executada, por fuzilamento.

A sua execução gerou diversos mitos, alguns mais realistas do que outros. Os soldados do pelotão de fuzilamento tiveram de ser vendados para não serem seduzidos pelo charme de Mata Hari.

Há ainda relatos de que a espiã atirou um sedutor beijo aos executores, no momento em que preparavam as armas. Hari terá aberto a túnica que vestia e morreu expondo as partes íntimas do seu corpo.

Nasceram a 7 de agosto Mata Hari, espiã holandesa (1876), Caetano Veloso, cantor e compositor brasileiro (1942), Bruce Dickinson, vocalista dos Iron Maiden (1958), David Duchovny, ator americano (1960), Harold Perrineau Jr., ator norte-americano (1963), e Jimmy Wales, cofundador da Wikipedia (1966).

Morreram neste dia Jöns Jacob Berzelius, químico sueco (1848), Oliver Norvelle Hardy, ator de cinema mudo (1957), e Bruno Cremer, ator francês (2010).

Última atualização: Quinta-feira, 07 Agosto 2014 08:36
 

6 de agosto, morre Jorge Amado, nasce Alexander Fleming

Joana Teles   
Terça-feira, 05 Agosto 2014 23:00

jorge amadoHoje é dia de recordar o eterno Jorge Amado, escritor brasileiro, um dos maiores autores de Língua Portuguesa. Amado morreu a 6 de agosto, dia em que nasceu Alexander Fleming, cientista que descobriu a penicilina.

Jorge Leal Amado de Faria nasceu em Itabuna, a 10 de agosto de 1912. É hoje lembrado como um dos maiores autores brasileiros, o autor com mais trabalhos adaptados para a televisão brasileira, apenas superado nos números de vendas por Paulo Coelho.

A obra de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, sendo que os seus livros foram traduzidos para 55 países, em 49 línguas.

Era um escritor com uma marca única, com um estilo literário inconfundível, reconhecido em 1994 com o prestigiado Prémio Camões.

Amado viria a morrer em 2001, em Salvador, a 6 de agosto de 2001, vítima de uma paragem cardiorrespiratória. Contava então 88 anos.

Neste dia, em 1661, é assinado o acordo de Paz de Haia, entre Portugal e a República Holandesa.

Já em 1945, durante a II Guerra Mundial é lançada a bomba atómica ‘Little Boy’ sobre Hiroshima, a partir do avião B-29 ‘Enola Gay’.

Já a 6 de agosto de 1966, é inaugurada a Ponte Salazar, em Lisboa, rebatizada como Ponte 25 de Abril.

Nasceram neste dia Nicolas Malebranche, filósofo francês (1638), Alexander Fleming, cientista e médico bacteriologista britânico, que descobriu a penicilina (1881), Robert Mitchum, ator cinematográfico norte-americano (1917), Andy Warhol, desenhista, pintor, publicitário e escultor (1928), e Mário Coluna, ex-futebolista moçambicano naturalizado português (1935).

Morreram a 6 de agosto António José Enes, político colonial português (1901), Theodor W. Adorno, filósofo e sociólogo alemão (1969), Fulgencio Batista, ex-presidente de Cuba (1973), Feodor Lynen, bioquímico alemão e Nobel de Fisiologia/Medicina (1979), e Jorge Amado, escritor brasileiro (2001).

Última atualização: Terça-feira, 05 Agosto 2014 19:54
 


Página 13 de 23